FALE CONOSCO

 

Telefone:

(11) 97733-9342 (Paula)

E-mail:

mahalleybull@gmail.com

Endereço:

Cotia - São Paulo

ENCONTRE-NOS NO FACEBOOK

PARCEIROS

mahalley bull, bulldog frances, bulldogue frances, french bulldog, bulldog, canil, cbkc
mahalley bull, bulldog frances, bulldogue frances, french bulldog, bulldog, canil, fci
mahalley bull, bulldog frances, bulldogue frances, french bulldog, bulldog, canil, alkc
mahalley bull, bulldog frances, bulldogue frances, french bulldog, bulldog, canil, alkc

SOBRE A RAÇA

O temperamento do Bulldog Francês também confere um tom especial à raça. São cães normalmente alegres, calmos, companheiros, brincalhões e muito inteligentes. Como todas as raças de companhia, eles necessitam, acima de tudo, de contato constante com humanos. Suas necessidades de exercícios são mínimas e variam de cão para cão. Sua natureza calma os torna grandes escolhas para aqueles que vivem em apartamento, assim como sua falta de interesse em latir.

 

Sendo uma raça de cara achatada, é essencial que seus futuros donos entendam que Bulldogs Franceses não devem viver fora de casa. Seu sistema de respiração comprometido não os permitem regular suas temperaturas eficientemente. Além do mais, os Bulldogs Franceses são bem pesados e podem ter dificuldade em nadar. Sempre tome cuidado quando exercitar seu Bulldog Francês no calor.

 

O nível de energia de um Bulldog Francês pode variar de hiperativo e energético até relaxado e calmo.

Geralmente é comum que o filhote seja mais ativo até os 12 ou 18 meses, quando ele se torna efetivamente um adulto e começa a acalmar.

 

O Bulldog Francês é uma raça essencialmente com sangue bull e sangue terrier. Portanto, não é nenhuma surpresa que os problemas podem surgir quando dois cães dessa raça se juntam, principalmente quando são do mesmo sexo. Donos que estão considerando adicionar um segundo cão à sua família são geralmente advertidos e aconselhados a escolherem cães de sexo oposto. A castração pode fazer muito a fim de ajudar a diminuir essas tendências antes mesmo delas começarem.

COM A FAMÍLIA

Ele até escolhe um dono preferido, mas é festeiro com todos da casa. Adora colo, carinho e demonstrações de afeto em geral. Embora não seja particularmente absorvente, não perde uma oportunidade de se aproximar para ganhar um cafuné. Recebe as pessoas com alegria e, se não for desestimulado desde cedo, com muitas lambidas de amor. Também é de seguir os donos pela casa, oferecendo companhia em tempo integral.

COM PESSOAS ESTRANHAS

Salvo Bulldogs que crescem enclausurados e afastados do convívio social, o que não é nada indicado, os cães dessa raça são simpatia pura com todo mundo. Podem dar três ou quatro latidos para avisar que as visitas chegaram, mas nada que represente hostilidade. Pelo contrário. Já recepcionam os visitantes abanando a cauda, que, aliás, de tão curta, ocasiona um típico rebolado geral na região posterior. Também pede carinho aos convidados e, volta e meia, os chama para brincar, levando seus brinquedos até eles.

 

Se ele crescer longe do convívio com a garotada, pode se assustar quando for apresentando à típica energia ruidosa dos baixinhos humanos. Sua tendência, contudo, é manifestar seu receio procurando um recanto escondido e não se mostrando agressivo. Já exemplares acostumados com crianças tendem a ser tolerantes com elas e receptivos às suas brincadeiras. Vale lembrar que o Bulldog Francês, por ser pequeno, pode sair machucado se a folia passar dos limites. Por isso, supervisione a relação caso os pimpolhos sejam muito pequenos ou estejam muito agitados.

COM OUTROS CÃES E ANIMAIS

Nem sempre o convívio entre exemplares machos – sejam dois Bulldogs ou um Bulldog e um cão de outra raça – funciona. Há vários relatos de conflito. Por outro lado, há também diversos casos de amizade harmoniosa. O sucesso ou fracasso dessa relação parece regido pelo espírito de liderança dos cães envolvidos: é importante que haja no máximo um líder na história. Já entre fêmeas, embora haja exceções, o convívio tende a ser pacífico. E com outros animais, desde que o Bulldog tenha crescido com eles, o dia-a-dia é promessa de paz e união. De forma geral, no entanto, os exemplares da raça tendem a aceitar os bichos com os quais convivem e não os desconhecidos. Por isso, se a idéia é introduzir um novo colega do reino animal no território de um Bulldog adulto, recomenda-se um período de adaptação devidamente supervisionado.

O BULLDOG FRANCÊS LATE MUITO?

Discreto por natureza, o Bulldog Francês late pouco e, quando o faz, é em tom rouco e baixo. Só se manifesta com latidos quando chegam visitas ou diante de acontecimentos que fujam da rotina. Mesmo assim, histeria não é com ele. Dá o seu aviso e logo se aquieta novamente. A vizinhança agradece.

 

DESTRUTIVIDADE

Na infância, especialmente na fase de troca dos dentes, ele até apronta suas travessuras. Mesmo assim, nada de excepcional nem que não seja facilmente contornado com a devida orientação da família e com oferecimento de brinquedos apropriados. Quanto aos adultos, o mais comum é que não desapontem a família. Os raros casos de exemplares destruidores estão associados a donos significativamente ausentes e a ambientes desestimulantes, sem brinquedos nem qualquer tipo de atração para os cães.

 

OBEDIÊNCIA

Ele não é dos mais obedientes. Mas, graças à natureza bem-comportada e pouco destruidora, as teimosias da raça não costumam se transformar em problemas de convívio. No conhecido ranking de obediência canina publicado no livro "A Inteligência dos Cães", do psicólogo Stanley Coren, o Bulldog Francês é o 58º entre as 79 estabelecidas. A avaliação do resultado detalha: os exemplares da raça tendem a repetir um mesmo exercício de adestramento por mais de 25 vezes até que demonstrem compreendê-lo. E geralmente só o assimilam totalmente após expostos a ele de 40 a 80 vezes. No dia-a-dia, contudo, quando a questão principal é seguir as normas domésticas e respeitar as vontades dos donos, o estilo desobediente exige apenas uma dose extra de paciência dos familiares para repetir duas ou três vezes alguns dos chamados e das ordens que o Bulldog insistir em ignorar.

 

O BULLDOG FRANCÊS É MUITO AGITADO?

O Bulldog Francês é medianamente ativo. Gosta de brincar com pessoas, com outros cães e até sozinho. Também nunca dispensa convites para atividades mais enérgicas. O focinho achatado, no entanto, que interfere na respiração, impede que tenha grande resistência. Os donos, por sua vez, devem evitar que ele extravase sua energia. Há relatos de exemplares que, por terem se agitado demais, acabaram com graves complicações cardiorespiratórias. O lado sossegado da raça também se manifesta com freqüência. O Bulldog é daqueles que ficam horas assistindo à TV ao lado da família.

 

INTELIGÊNCIA

Ele se destaca quando o assunto é associar causa e efeito dos acontecimentos. É do tipo que sabe quando os donos estão de saída só por vê-los se arrumando e que reconhece a hora do passeio porque alguém pegou a coleira. Também resolvem alguns probleminhas por conta própria. Como são calorentos, não é raro que, em dias quentes, virem a vasilha de água para deitar sobre o chão molhado ou mesmo que entrem nela para uma refrescada mais caprichada. Justamente por isso, os criadores experientes recomendam cautela. Há casos de exemplares que optaram por mergulhar nas piscinas da casa. Acabaram afogados por não conseguir sair delas.

SAÚDE E MANUTENÇÃO

O Bulldog Francês também precisa de diversos cuidados especiais.

  • Ele precisa estar sempre arejado e fresco, não podendo em hipótese alguma ficar com muito calor. A troca de calor é feita pelos cães através da salivação e do focinho, e como cães com a “cabeça achatada” tem um focinho muito curto, ficam prejudicados neste quesito.

  • Podem ter problemas de ouvido.

  • É bom estar atento às rugas da face, limpando-as com frequência. A limpeza pode ser feita com soro fisiológico e algodão. Tome cuidado para não deixar o local úmido. Seque bem.

  • Precisam de pouco exercício. Se você notar que seu cão está cansado, pare. Uma caminhada curta de 15 minutos é o suficiente pra suprir suas necessidades.

  • A maioria não consegue nadar. O melhor é não incentivá-lo. Bulldogs não são cães ligados à água, como os retrievers, por exemplo.

  • Não crie Bulldogs no quintal. É uma raça que além de ser apegada ao dono, não lida bem com mudanças climáticas. É uma raça para viver em apartamento, confortavelmente, com temperatura amena e ao lado do seu dono.

  • Bulldogs Franceses roncam, como todo cão "sem focinho". Esteja preparado para isso.

  • Não é necessario tosá-los.

  • Para as fêmeas parirem, geralmente é preciso fazer cesariana, pois a cabeça dos filhotes é muito larga, complicando assim o parto natural.

 

QUANTO CUSTA UM BULLDOG FRANCÊS?

Essa é uma pergunta simples, mas que possui uma resposta complexa:

“Eles custam muito menos do que valem e provavelmente muito mais do que você gostaria de pagar.”

 

O preço de um Bulldog é determinado pela qualidade dos seus antecedentes. Se você está procurando um cão que cumpra rigorosamente todos os quesitos do padrão da raça e pretende levá-lo a shows e exposições de beleza, esteja preparado para investir um bom dinheiro. Se a ninhada for descendente de campeões de exposição, os filhotes serão muito valorizados e consequentemente, bem caros.

 

O custo de um cão adulto e de boa linhagem, que será usado como padreador (macho que irá cruzar) ou matriz (fêmea que dará a luz às ninhadas) também é muito alto, visto que as pessoas que pretendem comprar visam a criação da raça e consequentemente acabarão lucrando.

 

Mas, se você quer apenas uma companhia e um amigo inseparável, e não se importa se seu cão é filho de campeão ou não, pode adquirir o seu filhote sem se preocupar se ele é filho de um cão vencedor de exposições. Note, porém, que mesmo assim é preciso procurar um criador sério e responsável, que se preocupa com seus cães, que faz exames frequentemente para evitar o cruzamento de cães doentes e que não abuse dos seus animais para fazer dinheiro. Salvo raras exceções, nunca compre um cão em um pet shop. Na maioria dos casos, cães de pet shop tem a procedência duvidosa. Normalmente são pessoas sem nenhuma experiência, que compram uma raça cara para depois fazer dinheiro. Muitas vezes exploram seus cães, chegando até a fazer a fêmea parir toda vez que entra no cio, o que é uma irresponsabilidade e um abuso com as cadelas.

 

Por fim, comprando um Bulldog Francês como pet, você vai adquirir um cão dentro do padrão da raça (se comprar de um criador sério), com todas as características físicas e temperamentais, que sem dúvida trará muito amor, afeto e alegria ao seu lar.